Movimento mundial #DrinkingAboutMuseums chega ao Brasil

Recebi uma mensagem do jornalista e consultor de museus Luís Marcelo Mendes. O texto era conciso, com um link e um convite: “Vamos fazer um no Rio?”

#DrinkingAboutMuseums 9 (2013-06)Dias antes, nós dois havíamos comentado o desabafo de alguns diretores de museus, veiculado na mídia, de que o que mais surpreendeu o grupo, que fazia uma viagem técnica por museus estrangeiros, fora “o quanto os profissionais de museus brasileiros se conheciam pouco”.

Não que não soubéssemos disso. No Brasil, não importamos esse hábito cultural americano maravilhoso, que promove encontros entre pessoas diversas em torno de um tema comum. De mídia social a arte contemporânea, de inovação a culinária, os encontros são concorridíssimos e pressupõem que você se ponha à frente de um desconhecido, apresente-se e ouça a apresentação dele. Caso aflore um interesse mútuo, o papo continua e trocam-se cartões. Quem sabe, surge daí um negócio, uma parceria e até uma boa amizade.

Como nós não importamos esse hábito, terminamos por nos manter em grupinhos, trocando entre nós, convidando uns aos outros para publicar numa revista especializada, para falar num evento museológico, para dar um curso. Como resultado, circulam na área de museus as mesmas ideias e os mesmos ideais. Avanços ocorrem, mas vão lentos. Não por acaso, muitas das ideias mais inovadoras – para bem e para mal – têm vindo de pessoas de outras áreas: jornalistas, físicos, economistas, comunicadores e tais.

Divagações à parte, o #DrinkingAboutMuseums é um movimento que surgiu em Boston e rapidamente ganhou o mundo. O evento é um convite a uma boa conversa sobre qualquer assunto ligado a museus (tecnologia, exposição, educativo, segurança, desafios etc.), completamente aberta a interessados de todas as áreas. Você encontra mais informações nos links abaixo:

No dia 20 de junho, no restaurante da recém-inaugurada Casa Daros, realizou-se o primeiro #DrinkingAboutMuseums do Brasil.

#DrinkingAboutMuseums - Cartazes (2013-06)Por coincidência, o dia marcado acabou sendo o dia em que a maior das passeatas do Rio acontecia no Centro da cidade: 300 mil pessoas (segundo fontes oficiais), ou mais de um milhão (segundo outras) caminharam em prol de mudanças radicais na política, no nível de corrupção, na Educação e na Saúde.

Mantivemos o encontro apesar da passeata em respeito às várias confirmações que o evento recebeu, via Facebook, email e Google Plus (o #DrinkingAboutMuseums carioca foi criado e é integralmente gerenciado via web).

Para nossa surpresa, apesar da concorrência desleal, conseguimos reunir doze pessoas em volta da mesa. Empresários, consultores, estudantes, jornalistas, educadores e designers conversaram animadamente com. Duas instituições importantes no cenário cultural do Rio nos deram a honra de sua presença – o CCBB e o Museu Internacional de Arte Naïf, que acabara de lançar seu Projeto Digital (por si só um salto evolutivo na rala presença interativa dos museus brasileiros na web).

#DrinkingAboutMuseums - 2013-07-17Sobretudo, fomos surpreendidos e homenageados com a presença d’ “o público”, como se apresentaram duas colegas de copos, que vieram diretamente da passeata para os porões da Casa Daros. “O público” [dos museus] compartilhou conosco os cartazes que empunharam na Avenida Rio Branco – o que gerou nova e empolgada discussão sobre o papel dos museus nesse cisma sócio-político e cultural que vimos comemorando em meio passes livres da Copa das Confederações e das quadrinhas juninas.

Quer saber do que falamos? Vá ao próximo, dia 17 de julho, no bar Mira!, na Casa Daros, Botafogo.

decorative-line-Download-Royalty-free-Vector-File-EPS-2302

A edição carioca do evento é uma iniciativa de Claudia Porto, museóloga com MBA em Gestão Empresarial, webpublisher e produtora associada do British Council. E de Luis Marcelo Mendes, jornalista, consultor de Comunicação para Museus da Fundação Roberto Marinho e organizador do livro Reprograme: Comunicação, marca e cultura numa nova era de museus.

Anúncios