British Council leva museus brasileiros ao Reino Unido

O grupo visitou os principais museus de Londres, Liverpool e Glasgow e debateu os desafios enfrentados para atrair, manter e fidelizar o público planejando projetos conjuntos de 2012 a 2016

O British Council realizou, por meio do Transform — programa de artes e criatividade que tem como objetivo desenvolver o diálogo artístico entre o Reino Unido e o Brasil —, o Museum Study Tour, encontro entre representantes de alguns dos mais importantes museus dos dois países. A troca de experiências e conhecimentos teve em vista a recente expansão dos museus no Brasil e a busca por profissionalização na área será de 29 de abril e 03 de maio, nas cidades de Londres, Liverpool e Glasgow.

O British Council preparou um roteiro de visitação aos museus mais relevantes do Reino Unido, como o Victoria & Albert Museum, o British Museum, Museum of London e Horniman Museum, em Londres; o Museum of Liverpool e Tate Liverpool, em Liverpool; o Riverside Museum, o Open Museum e a Gallery of Modern Art (GoMA), em Glasgow, na Escócia. Desta forma, além de Londres outras realidades puderam ser conhecidas, como é o caso de Glasgow e Liverpool, onde os museus têm tido um papel importante na revitalização das cidades, paralelo importante com a situação atual das cidades brasileiras.

Fizeram a viagem:

  • Paulo Vicelli, Pinacoteca do Estado São Paulo;
  • Clara Azevedo, Museu do Futebol;
  • Marilia Bonas, Museu da Imigração/Café;
  • Angélica Fabbri, Museu Casa de Portinari;
  • Ana Vilela, Casa Fiat de Cultura;
  • Renata Salles, Inhotim;
  • Katia de Marco, Museu Antonio Parreiras;
  • Hugo Bianco, Museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro;
  • Sabrina Curi, Museu de Arte Contemporânea de Niterói;
  • Roberto Guimarães, Oi Futuro;
  • Manoel Henrique Paulo, Casa Mário Quintana; e
  • André Venzon, Museu de Arte Contemporânea do Rio Grande do Sul.

A iniciativa teve investimento compartilhado entre os museus participantes e o British Council.

A consultora especialista em Museus e Patrimônio do British Council, Jane Weeks, além de Lucimara Letelier, diretora assistente de artes do British Council, acompanharam o grupo. Jane esteve no Brasil em 2012 para dar início ao diálogo com instituições brasileiras com o objetivo de identificar as principais áreas de interesse e relevância mútuos. “A viagem é um reflexo do momento atual do mercado de museus no Brasil e nosso maior desafio é atrair, manter e fidelizar o público para que seja presença permanente e ativa nos museus. Este é um desafio que o Reino Unido também enfrentou e enfrenta com iniciativas de marketing, comunicação, educação, pesquisa e programação, que poderão ser discutidas durante a viagem e perpetuadas em projetos futuros dentro do Transform”, conta Lucimara.

Programa de Museus

A iniciativa faz parte do Programa de Museus, intercâmbio de experiências para formação de novas competências na área de museologia no Brasil e no Reino Unido, de 2012 a 2016. O programa tem por objetivo criar impacto positivo no desenvolvimento dos museus e na criação de políticas públicas no Brasil e no Reino Unido. “O Programa de Museus, como um dos projetos do Transform, é um trabalho de longo prazo que visa não só possibilitar que os brasileiros aprendam com a experiência britânica, mas também que os britânicos aprendam com a experiência brasileira, sobretudo em áreas de inovação e especificidade como a museologia social”, explica Lucimara.

Neste contexto, o programa se desenvolve a partir de três eixos de atuação principais: Políticas Públicas, Museus e Universidades. O primeiro deles visa promover o intercâmbio de práticas e metodologias inovadoras para o setor museológico a partir de indicadores de desempenho, pesquisas, programas de capacitação profissional e sistemas de fortalecimento dos museus entre profissionais dos governos municipal, estadual e federal. Em 2012, uma delegação com superintendências estaduais de museus do Rio de Janeiro, São Paulo, Minas Gerais e Rio Grande do Sul foi levada ao Reino Unido pelo Programa.

Há também a troca de expertise entre diretores e profissionais de museus brasileiros com britânicos para colaborarem em capacitação de suas equipes, internacionalização, programas de residência técnica e artística, itinerância de exposições, desenvolvimento de conteúdos e programação. Cerca de 15 diretores e profissionais de museus visitarão o Reino Unido para estudo aprofundado este ano. Importantes acordos de parceria a longo prazo já estão em curso entre museus com áreas de atuação similares nos dois países, entre eles o Science Museum, Victoria & Albert Museum, Tate, British Museum e Natural History Museum.

Em relação às universidades, o British Council proporciona o intercâmbio para identificação de áreas de pesquisa comuns e a geração de conhecimento, desenvolvimento de novas metodologias e formação de multiplicadores entre professores e estudantes com projetos de relevância para o Brasil e Reino Unido. Em março de 2013, a Dra. Sheila Watson, diretora da Escola de Museologia da Universidade de Leicester, esteve no Brasil para uma série de palestras e workshops na UNIRIO, sinalizando o início de uma parceria entre ambas as universidades com o apoio do British Council.

Para este ano, o British Council se prepara também para promover diversas atividades com especialistas britânicos durante a Conferência Mundial do ICOM, o mais importante encontro de museus no mundo, que acontecerá no Rio de Janeiro. Haverá, ainda, um Museum Study Tour ao Brasil com representantes de museus britânicos para conhecerem as experiências no Brasil, além do apoio à participação britânica nos principais eventos e conferências em museologia, como o Museus e Cidades Criativas, promovido pela Secretaria de Estado da Cultura do RJ.

Anúncios

2 comentários

  1. Claudia,

    Parabéns por este post maravilhoso.

    No ano passado quando o BC lançou o Transform no Rio eu estava em Washington, Nova York e Boston fazendo visitas técnicas e entrevistando diretores de museus (Newseum, Corcoran Art Gallery e National Museum of the American Indian; ICA, Isabela Gardnerer and Fine Arts Museum Boston; MoMa). Então não pude ir ao evento nem conhecer o programa pelo site do BC. Porém agora com o seu texto ficaram claros os objetivos e as ações deste Programa.

    Parabéns, excelente!

    Beijos

    Rosane Carvalho

    Museóloga e Relações Públicas

    Doutora em Ciência da Informação

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s